Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fahion And Other Teas

Um chá de moda e informação para os que correm com a atualidade. Um brinde! A fashion and news tea for the those who run with our times. Cheers!

Fahion And Other Teas

Um chá de moda e informação para os que correm com a atualidade. Um brinde! A fashion and news tea for the those who run with our times. Cheers!

28
Ago20

Agosto lilás?? Nunca ouvi falar...

Clara Cardoso

Oii, angels!! Como vocês estão??

Portanto, no post de hoje falarei sobre uma campanha ainda não muito comentada, o Agosto Lilás. Pois bem, ela foi criada em 2016 pela Subsecretaria de Políticas Públicas para Mulheres (SPPM) do Governo do Estado do Mato Grosso do Sul. Seu objetivo é enfrentar todos os tipos de violência contra a mulher. Também busca divulgar a Lei Maria da Penha, que por sinal, faz aniversário exatamente no mesmo mês.

Mas afinal, será que só existe um tipo de violência contra a mulher ????

Não! Existem ao todo, cinco tipos. Explicarei cada um abaixo. Se liga! 

>Tipos de violência:

1. Violência física

--> Entendida como qualquer conduta que ofenda a integridade ou saúde corporal da mulher, isto é, espancamento, estrangulamento ou sufocamento, lesões com objetos perfurantes ou cortantes, tortura, feriminetos causados por armas de fogo ou queimaduras, atirar objetos, sacudir e apertar os braços. 

IMG_1463.JPG 

2. Violência sexual

--> Qualquer conduta que obrigue a mulher a presenciar, a manter ou a paticipar de relação sexual não desejada, mediante intimidação, ameaça, ou uso da força. Apesar de ser normalmente associado ao estrupo, o termo violência sexual é muito mais amplo e abrange uma série de situações que as mulheres sofrem atualmente, seja com desconhecidos, parentes, namorados ou companheiros. 

Ou seja, caso seu parceiro te obrigue a ter relações sexuais com ele e você não queira, por motivos de desconforto ou repulsa, é considerado estrupo. Assim como em: impedir o uso de métodos contraceptivos ou forçar a mulher a abortar, forçar matrimônio (casamento forçado), gravidez ou prostituição,por meio de chantagem, suborno, coação ou manupulação e limitar ou anular o exercício dos direitos reprodutivos da mulher. 

  

3. Violência patrimonial:

--> Entendida como qualquer ação que configure subtração, retenção, destruição parcial ou total de seus objetos, instrumentos de trabalho, documentos pessoais, bens, valores e direitos ou recursos econômicos, incluindo os destinados a satisfazer suas necessidades. Isto é, controlar o dinheiro, destruição de documentos pessoais, furto, dano ou extorsão, privar de bens, valores ou recursos econômicos, deixar de pagar pensão alimentícia e causar danos propositais a objetos da mulher ou dos quais ela goste. 

4. Violência psicológica:

--> A Lei Maria da Penha classifica violência psicológica como qualquer conduta que cause dano emocional e à autoestima da mulher, que prejudiquem o seu pleno desenvolvimento, que vise degradar ou controlar suas ações comportamentos, crenças e decisões. O Instituto Maria da Penha lista algumas dessas condutas:

  • Ameaças
  • Constrangimento
  • Humilhação
  • Manipulação
  • Isolamento (proibir de estudar e viajr ou de falar com amigos e parentes)
  • Insultos
  • Vigilância constante 
  • Perseguição contumaz
  • Chantagem
  • Exploração
  • Ridicularização
  • Tirar a liberdade de crença
  • Distorcer e omitir fatos para deixar a mulher em dúvida sobre sua sanidade e memória (Gaslighting)

  

 

5. Violência moral:

--> Qualquer conduta que configure calúnia, difamação ou injúria. Nesse tópico, refiro-me a: 

  • Acusar a mulher de traição sem provas
  • Emitir juízos morais sobre a conduta
  • Expor a vida íntima
  • Fazer críticas mentirosas
  • Desvalorizar a vítima pelo seu modo de vestir 
  • Rebaixar a mulher por meio de xingamentos que incidem sobre sua índole

  

Agora, chegou a hora de mostrar os dados que serviram como motivação ao desenvolvimento da campanha. Vem comigo!! 

Em 2016, 1 estrupo coletivo (isto é, violência sexual envolvendo dois ou mais agressores) ocorreu a cada 2 horas e meia no Brasil. Assim como, em 2017, 177 mulheres foram espancadas A CADA HORA no mesmo e o assédio virtual cresceu 26.000%.

Sabem qual quantas pessoas habitam no Equador ??? 16 milhões!! Foi exatamente o número -que tem-se registrado- de mulheres que sofreram algum tipo de violência no Brasil em 2018, ou seja, é como se a população inteira do país tivesse sido violentada. Isso é MUITO problemático!!!!

  

No mesmo ano, 536 mulheres levaram socos, empurrões ou chutes também no mesmo país, e não para por aí...  Segundo estudos, os casos de feminicídio cresceram 41.4% no estado de São Paulo durante a pandemia do Covid-19. Além dessa pesquisa, especialistas compararam e destacaram que os casos de assassinato à mulher aumentou 22.2% entre Março e Abril deste ano, em 12 estados brasileiros, aumententando a vulnerabilidade das vítimas de violência doméstica. 

 

Embora pareça que esses casos só estão a ocorrer apenas no Brasil, no Reino Unido, os telefonemas para o serviço nacional de denúncia contra abuso subiu 65% na última semana de Março, tal como nos Estados Unidos, na Austrália e na França, por exemplo. 

Já em Portugal, houveram 503 feminicídios entre 2004 e 2018.

Foi comprovado nos últimos anos que 45% dos feminicídios sucedem por inconformismo dos homens com a eparação ou término de relacionamento, enquanto 30% são causados por causa de ciúmes, posse e machismo. 

IMG_1555 (1).jpg

Mas então, será que não existe nenhum lugar seguro para as mulheres? Será que toda rua, cidade, estado, distrito e país é perigoso?? A resposta é não, afinal de contas, há países -considerados desenvolvidos- que são mais seguros e outros, cujo são mais perigosos. 

A partir dos dados do site VIX, os cinco países mais perigosos para mulheres são: El Salvador, Colômbia, Guatemala, Rússia e Brasil.

Meu objetivo com todas essas informações, termos e definições é apresentar que essa campanha e o assunto-alvo da mesma, não são "mimimi' ou "modinha".

Se hoje temos mais voz, espaço e oportunidade para realizar campanhas como esta, é porque é fruto de toda luta e jornada de mihares de mulheres incríveis, como Maria da Penha, Marielle Franco e Dandara. 

  

Bom, sei que me estendi bastante no post de hoje, mas de verdade senti necessidade, porque um assunto como esse, merece e deve ser compartilhado. Precisamos do feminismo!! Para finalizar, deixarei uma frase de Nina Simone que foi uma mulher com pensamentos revolucionários e feminstas e me inspira diariamente. 

"Você tem que aprender a levantar-se da mesa quando o amor não estiver mais sendo servido."- Nina Simone

Beijos de luz e até o post de amanhã!

Ah, me contem abaixo o que estão achando do projeto #tododiaaté20, é sempre bom receber o feedback de vocês! 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub